quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Eu Sou um Cyborg, Mas Tudo Bem. (Saibogujiman kwenchana) 2006

A Coreia está me surpreendendo com ótimos filmes que ando assistindo ultimamente, principalmente graças aos diretores Park Chan-Wook e Ki-duk Kim. E falando em Park Chan-Wook, diretor da ótima trilogia da vingança (Mr. Vingança, OldBoy e Lady Vingança), foi ele também que dirigiu e escreveu o roteiro de Eu Sou um Cyborg, Mas Tudo Bem. No filme, nada de vingança como é costume do diretor e sim uma bela história, original, bem humorada e com um pouco de humor negro que se passa em torno de Cha Young-goon, que é hospitalizada em uma clínica psiquiátrica por acreditar ser um ciborgue (Ser que é dotado de partes orgânicas e mecânicas). Alem de Cha Young-goon, também conhecemos vários personagens que têm interlocutores imaginários com doenças que se pode observar, são frutos de algum trauma. Percebemos diversas cenas que intercalam entre o real e o imaginário. O diretor soube trabalhar bem a imaginação dos personagens com cenas poéticas e cheia de cores que embarcam na fantasia. O elenco também foi muito bem escolhido e destaque para a ótima narrativa, bem no estilo de OldBoy. Park Chan-Wook também está com filme novo na área, Sede de Sangue (Bakjwi), mas que fica pra um outro post.

7 comentários:

keitarowww disse...

Ótimo blog, parabens

Anônimo disse...

.....

Anônimo disse...

DEIXA DE SER À TOA

Anônimo disse...

DEIXA DE SER À TOA

Anônimo disse...

DEIXA DE SER À TOA

Chico disse...

hehehe.. Eu?

Angelica disse...

"Nada de vigança, você disse" Discordo. Park chan-wook é um aurtor, e como tal, tende a obedecer uma certa coerência. A personagem Young-goon, desde que sua avó foi levada pelos homens de branco, tem como maior objetivo destrui-los para poder devolver a dentadura de sua avó. Pode ser que a vingança não seja tão claro como em um filme de nome "Sr. Vingança" mas que há, isso há.